(47) 3520-6604 cerumar@cerumar.com.brÁrea Restrita

Embrapa, Basf e Abrasem assinam acordo anti-pirataria

Brasília -A Empresa Brasileira de Pesquisa Agropecuária (Embrapa), a empresa alemã de defensivos agrícolas Basf e a Associação Brasileira de Sementes e Mudas (Abrasem), assinaram ontem, na sede da Embrapa em Brasília, um protocolo de intenções para a utilização correta da nova cultivar de soja geneticamente modificada produzida em parceria entre a empresa europeia e a instituição pública brasileira. O objetivo do documento é assegurar que o sistema intitulado como Cultivance – o primeiro transgênico produzido no Brasil – chegue aos produtores por meio do mercado legal de sementes, atuando contra a pirataria e aumentando o potencial produtivo de quem trabalha no campo.
Segundo Narciso Barison Neto, presidente da Abrasen, o mercado de sementes no Brasil movimenta cerca de R$ 4 bilhões por ano e o produtor deve ter consciência da utilização de cultivares certificadas. ”É muito importante combatermos a pirataria de sementes, já quea utilização corretados produtos acaba alimentando ainda mais a pesquisa. A utilização de novas tecnologias impactam diretamente no agronegócio”, ressaltou Narciso. Mauricio Russomano, vice-presidente da Unidade de Proteção de Cultivos da Basf, calculou um investimento deUS$20 milhões para a produção do novo sistema, que teve inicio em 1996, e ingressa no mercado brasileiro apenas na safra de 2012/2013. ”Esta soja oferecerá um novo sistema de proteção capaz de controlar de maneira eficiente um grande número de plantas daninhas. Os herbicidas são aplicados apenas uma única vez e o sojicultor já obtém longa duração para o controle das pragas”, explicou o representante da empresa alemã. Russomano salientou a importância da defesa da propriedade intelectual em relação à produção de novas tecnologias para o campo. ”A Abrasen vai nos ajudar na produção e comercialização das novas sementes, deixando os produtores cientes da importância de adquirir produtos legais.” Já para Pedro Arraes, diretor presidente da Embrapa, ter criado o sistema Cultivance em parceria com a Basf tem o intuito de voltar a valorizar a produção de sementes e dar maior número de opções para o produtor brasileiro no momento do plantio. ”São elementos para que o agrobusiness do País permaneça cada vez mais competitivo. Essas parcerias entre empresas público-privadas são extremamente importantes para fomentar a pesquisa”, avaliou Arraes. Narciso Barison acrescentou ainda que a Abrasen continua com um trabalho forte contra a multiplicação ilegal de sementes, principalmente no estado do Rio Grande do Sul. ”Tivemos alguns problemas com uma semente que ficou popularmente conhecida como ‘Maradona’. Trabalhamos com a educação dos agricultores, para que eles tenham consciência da utilização adequada dos cultivares. É importante que eles paguem pelo produto consumido”, completou Barison.

Brasília, 21 de outubro de 2010
Folha de Londrina – Curitiba/PR
Conselho de Combate à Pirataria

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *


7 + cinco =