(47) 3520-6604 cerumar@cerumar.com.brÁrea Restrita
Reprodução
Reprodução

INPI reduz backlogs de patentes, marcas e desenhos industriais em 2017

O INPI reduziu, em 2017, o estoque de pedidos pendentes de exame (backlog) nas áreas de patentes, marcas e desenhos industriais. A queda foi de 7,6% em patentes, 14,9% em marcas e 26% em desenho industrial.

Com apoio do Ministério da Indústria, Comércio Exterior e Serviços (MDIC), a redução do backlog foi resultado da nomeação de 210 servidores concursados nos últimos dois anos (o que ampliou o quadro de pessoal do INPI em cerca de 25%), das medidas de otimização de procedimentos internos e das melhorias nos sistemas eletrônicos do Instituto, entre outros aspectos.

A partir destas medidas, o INPI conseguiu ampliar sua produção, fechando o ano de 2017 com mais decisões do que pedidos nestas três áreas, o que levou à queda do backlog.

– Os resultados alcançados no INPI em 2017 revelam o esforço técnico e o alto nível profissional dos servidores e gestores para aprimorar os serviços e atender às demandas da sociedade e seus empreendedores, bem como o êxito das diretrizes do MDIC, da política de simplificação e informatização de procedimentos – afirmou o presidente do INPI, Luiz Otávio Pimentel.

Na área de patentes, o backlog diminuiu de 243.820 em 2016 para 225.115 no ano passado. Em marcas, o backlog caiu de 421.941 em 2016 para 358.776 em 2017. Em relação aos desenhos industriais, o backlog passou de 12.555 em 2016 para 9.288 no ano passado.

Em 2018, o INPI seguirá no combate ao backlog. Para isso, uma das ações fundamentais será o investimento de R$ 20 milhões no Instituto, a ser realizado pela Agência Brasileira de Desenvolvimento Industrial (ABDI). O total investido chegará a R$ 45 milhões em três anos.

O projeto com a ABDI inclui medidas como a digitalização de arquivos, o saneamento da base de dados e a modernização da estrutura de Tecnologia da Informação. Para saber mais, clique aqui.

Para acessar as estatísticas do INPI, clique aqui e confira o material produzido pela Assessoria de Assuntos Econômicos do INPI.

Fonte: www.inpi.gov.br

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *


4 + = onze